CBHSF participa de seminário em Pirapora sobre revitalização do Rio São Francisco

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), participou do 1º Seminário Rotário de Revitalização do Rio São Francisco. O evento que aconteceu no Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG), Campus Pirapora/MG, no dia 14 de setembro. O objetivo foi de integrar as principais organizações envolvidas com a preservação do São Francisco.

 Fotos: João Paulo Sousa 


Para o secretário da Câmara Consultiva Regional (CCR) Alto São Francisco, do CBHSF, Altino Rodrigues, o evento foi uma oportunidade ímpar, pois vários setores puderam expor ideias e debater ações concretas de revitalização do Velho Chico. “A revitalização é fundamental para o rio. Temos que apoiar os projetos que beneficiam a bacia do São Francisco, seja em quantidade ou qualidade. Hoje, muitas ações ganharam forma. Apresentei as ideias do Comitê, assim como os trabalhos que estão sendo realizados na bacia. O Rotary apoiou as propostas do CBHSF, assim como a Cemig e a CODEVASF. E isso é importante, pois todos esses atores são fundamentais para que a gente evolua e integre as ações já existentes e os novos projetos com as demandas do Comitê, que foram discutidas dentro do plano diretor”, explicou Altino.


Segundo o Analista Ambiental da Cemig, Ricardo José da Silva, a integração dos projetos facilita a parte operacional e o aporte financeiro. “É importante essa união de processos, o rio só tem a ganhar. Neste seminário, por exemplo, tive a oportunidade de falar sobre o Programa Peixe Vivo, que foi instituído em 2007 pela Cemig em todas as usinas da empresa, com objetivo de conservar a ictiofauna das bacias hidrográficas”, disse Ricardo.

Para o analista da Cemig fomentar este e outros programas é importante para repovoar o rio São Francisco de peixes. “O peixe está presente na vida de todo cidadão, seja na alimentação, na economia ou na prática esportiva. “Com as mudanças climáticas positivas e a revitalização do rio, as espécies voltam a reproduzir, pois tem vários fatores externos que interferem para a permanência de quantidade de peixes numa bacia, como poluição e outras ações pesadas do humano. E a Cemig trabalha justamente para mudar este cenário. Então, esses estudos, projetos e parcerias buscam a preservação e conservação dessas espécies no rio São Francisco”, esclareceu Ricardo.

De acordo com o Governador do Distrito 4760, Nelson Fonseca Leite, o CBHSF teve um papel fundamental no seminário, assim como as outras instituições. “Através da palestra do Comitê e de outros especialistas pudemos conhecer a realidade do Rio São Francisco. Esse compartilhamento de conhecimento é importante num trabalho de revitalização.

cbhsaofrancisco.org.br


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.